Histórico

A data mais antiga documentando a origem de Natividade da Serra é 29 de maio de 1853, quando seu fundador Coronel José Lopes Figueira de Toledo perseguindo um escravo foragido de uma das suas senzalas acabou por se esconder em uma bela planície às margens de um rio rodeada de montanhas. A fuga do escravo da fazenda do Coronel situada no que hoje è chamado de bairro das Perobas, inspirou-o a transferir sua fazenda e seus empregados para lá devido a beleza do lugar. Logo a fazenda se transformou num vilarejo, chamado de Divino Espírito Santo de Nossa Senhora do Rio do Peixe, nome atribuído a religiosidade do Coronel e ao rio que passava as margens do vilarejo, num território outrora pertencente a Paraibuna.
Em 24 de abril de 1858 foi elevada à categoria de Freguesia, sendo chamada de Nossa Senhora do Rio do Peixe. Mais tarde, em 18 de abril de 1863 foi incorporado à Freguesia um outro vilarejo que se formava conhecido como povoado de Nossa Senhora da Conceição e que hoje é o Bairro Alto. Com isso a Freguesia passou a categoria de Vila com o nome de Natividade e tendo como principal atividade econômica a pecuária e a agricultura de subsistência.
Em 3 de julho de 1934, passou a condição de distrito de paz e em 5 de julho de 1935 voltou a anexar-se ao Município de Paraibuna. O município foi instalado em 1864 e reinstalado em 1935. Em 30 de novembro de 1944, recebeu o nome definitivo de Natividade da Serra, nome originário da Padroeira da cidade, Nossa Senhora da Natividade e, também devido a sua situação geográfica entre os contrafortes da Serra do Mar.
No início do século XX, com a vinda da industrialização para o Vale do Paraíba, Félix Guisard em 1913, havia planos iniciais que previam a construção de uma usina hidrelétrica em Natividade da Serra, para suprir o abastecimento de energia elétrica na região aproveitando as corredeiras do rio Paraitinga num local conhecido como Ponte dos Mineiros. Porém, o início da Primeira Guerra Mundial em 1914 impediu o embarque dos maquinários e geradores para o Brasil anulando assim o projeto.
Passados 120 anos de sua existência, Natividade da Serra, sofreu uma enorme transformação e foi translada para um novo local, à aproximadamente um quilômetro adiante na rodovia que liga a cidade à Taubaté. Esta mudança foi em consequência do represamento do rio Paraibuna, rio Lourenço Velho, rio do Peixe e rio Paraitinga, para a construção da Usina Hidrelétrica de Paraibuna formando a represa da Companhia Energética de São Paulo (CESP) devido uma necessidade de atendimento sócio-econômico regional.
O estado procedeu com à construção da Represa de Paraibuna, inundando quase 200% da área e das edificações da sede e parte da área rural. Na zona rural, o represamento das águas afetou as terras férteis, eliminando grande parte da agricultura de subsistência.
Com construção da barragem de Paraibuna, ocorreu a inundação da cidade antiga, surgindo a nova Natividade da Serra fundada 13 de agosto de 1973 com o lançamento da pedra fundamental feita pelo então prefeito Otacílio Fernandes da Silva, Padre Higino e Terezinha de Castro Aquino, no local onde se ergue a igreja matriz da cidade.
O fenômeno da industrialização da “Calha do Vale” (Taubaté, Pindamonhangaba e Tremembé) e a inundação de algumas áreas do município, contribuíram para a emigração de parte da população. Para minimizar os prejuízos ocasionados pela inundação eliminando suas terras férteis, os produtores rurais investiram em grande escala, na plantação de eucaliptos.

Formação Administrativa
Distrito criado com a denominação de Natividade de Nossa Senhora do Rio do Peixe, por Lei Provincial no 33, de 24 de abril de 1858, no Município de Paraibuna.
Elevado à categoria de município com a denominação de Vila de Natividade, por Lei no 15, de 18 de abril de 1863, desmembrado de Paraíbuna, com Sede na Povoação de Nossa Senhora da Natividade do rio do Peixe. Cosntituído de 2 Distritos: Vila Natividade e Bairro Alto. Sua instalação verificou-se no dia 02 de março de 1864.
Cidade por Lei Estadual nº 1038, de 19 de dezembro de 1906.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o Município de Natividade se compunha de 2 Distritos: Natividade e Bairro Alto.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o Município de Natividade permanece com os mesmo Distritos de 1911.
Reduzida a condição de Distrito, por Decreto no 6530, de 03 de junho de 1934, indo seu território incorporar ao Município de Paraíbuna
Elevado novamente à categoria de município com a denominação de natividade, por Decreto no 7353, de 05 de julho de 1935, desmembrado de paraíbuna. Constituído de 2 Distrtitos: Natividade e Bairro Alto. Sendo reinstalado no dia 06 de agosto de 1935.
Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, bem como no quadro anexo ao Decreto-lei nº 9073, de 31 de março de 1938, o Município de Natividade pertence ao termo judiciário de Taubaté, da comarca de Taubaté, e se divide em 2 Distritos: Natividade e Bairro Alto.
No quadro fixado, pelo Decreto Estadual nº 9775, de 30 de novembro de 1938, para 1939-1943,
o Município de Natividade é composto dos Distritos de Natividade e Bairro Alto, e pertence ao termo de São Luiz do Paraitinga, da comarca de São Luiz do Paraitinga. Pelo Decreto-lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944,o Município e o Distrito de Natividade passaram a denominar-se Natividade da Serra Para vigorar em 1945-1948, o Município de Natividade da Serra ficou composto dos Distritos de Natividade da Serra e Bairro Alto, e pertence ao termo e comarca de São Luiz do Paraitinga. Assim aparece nos quadros fixados pelas Leis nos 233, de 24-XII-1948 e 2456, de 30-XII-1953, para vigorar em 1949-53 e 1954-58, sendo que nesta última na comarca de Paraibuna. Em divisão territorial datada de 01-VII-1960, o município é constituído de 2 Distritos: Natividade da
Serra e Bairro Alto. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-VII-1999.
Alterações Toponímicas Municipais
Natividade para Natividade da Serra, teve a denominação alterada por força do Decreto-Lei Estadual no 14334 de 30 de novembro de 1944.

Dados Gerais

Município de Natividade da Serra  “Joia da Região dos Grandes Lagos”

Bandeira:

Brasão:

Aniversário: 13 de agosto

Gentílico: nativense

Localização de Natividade da Serra em São Paulo:

Municípios limítrofes: Redenção da Serra (N), São Luís do Paraitinga (N e L), Ubatuba (SE), Caraguatatuba (S) e Paraibuna (O).

Distância até a capital: 185 km

Altitude: 720 m

Clima: subtropical

Fundação: 29 de maio de 1853

Prefeito: Evail Augusto dos Santos (2021–2024)

Coordenadas:
23° 22′ 33″ S 45° 26′ 31″ O

Unidade federativa: São Paulo

População:

População estimada [2021]
6.624 pessoas  
População no último censo [2010]
6.678 pessoas
Densidade demográfica [2010]
8,01 hab/km²

Trabalho e Rendimento:

Salário médio mensal dos trabalhadores formais [2019]
2,2 salários mínimos
Pessoal ocupado [2019]
1.037 pessoas 
População ocupada [2019]
15,6 %
Percentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo [2010]
41,2 %

Educação:

Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]
98,8 %  
IDEB – Anos iniciais do ensino fundamental (Rede pública) [2019]
6,4  
IDEB – Anos finais do ensino fundamental (Rede pública) [2019]
5,2
Matrículas no ensino fundamental [2020]
779 matrículas 
Matrículas no ensino médio [2020]
197 matrículas

Taxa de escolarização de 6 a 14 anos de idade [2010]: 98,8 %

Docentes no ensino fundamental [2020]
73 docentes 
Docentes no ensino médio [2020]
35 docentes 
Número de estabelecimentos de ensino fundamental [2020]
escolas  
Número de estabelecimentos de ensino médio [2020]
escolas

Economia:

PIB per capita [2019]
11.048,15 R$
Percentual das receitas oriundas de fontes externas [2015]
94,1 %  
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) [2010]
0,655  
Total de receitas realizadas [2017]
27.184,72 R$ (×1000)
Total de despesas empenhadas [2017]
23.809,02 R$ (×1000)

Saúde:

Mortalidade Infantil [2019]
18,18 óbitos por mil nascidos vivos 
Internações por diarreia [2016]
–  
Estabelecimentos de Saúde SUS [2009]
estabelecimentos

Território e Ambiente:

Área da unidade territorial [2020]
833,372 km²
Esgotamento sanitário adequado [2010]
67,9 %  
Arborização de vias públicas [2010]
78,5 %  
Urbanização de vias públicas [2010]
65 
Bioma [2019]
Mata Atlântica
Sistema Costeiro-Marinho [2019]
Não pertence
Hierarquia urbana [2018]
Centro Local (5)
Região de Influência [2018]
Arranjo Populacional de São José dos Campos/SP – Capital Regional B (2B)  
Região intermediária [2020]
São José dos Campos
Região imediata [2020]
Taubaté – Pindamonhangaba  
Mesorregião [2020]
Vale do Paraíba Paulista
Microrregião [2020]
Paraibuna/Paraitinga

Fonte: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/natividade-da-serra

Skip to content